quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Ele há cada uma!!

Fotografia oferecida pela Sofia Carvalho

Uma das minhas máximas de vida, até ontem era: fazer o bem, sem olhar a quem!
Assim sendo, quando surgem colegas novas, sou sempre a primeira a emprestar materiais, a oferecer os meus préstimos e ajuda para o que for necessário.
Ontem recebi uma missiva de uma colega, que se mostrou extremamente indignada, porque eu tive a lata de lhe pedir uns materiais que lhe emprestara há dois anos!
Primeiro pedi-lhos a bem, embora considerasse que deveria ser ela que me os deveria ter entregue, assim que não necessitou mais deles (ou seja há dois anos atrás).
Depois passados uns dias, relembrei-a que ainda não me tinha trazido os materiais, desta vez já com uma voz autoritária e na presença de vários colegas,  pois não gosto de ser tomada por parva!
Ontem finalmente recebi os materiais incompletos, com uma  pequena nota dizendo: ... peço que jamais me dirija a palavra...!!
O maridão é que tem razão: tens a mania de disponibilizar tudo e mais alguma coisa, agora tens a paga!
Para a referida colega, que tenho a certeza* terá acesso a este post, desejo-lhe o dobro, do que a mim me deseja: muito sucesso pessoal e profissional.
E lá se foi por terra, uma das máximas da minha vida, ao fim de mais de meio século!!

*soube que sou lida por muitas colegas, embora nunca comentem, nem tenham blogs. Só por pura coscuvilhice...

21 comentários:

Nina disse...

Fantástica resposta a sua.

Será por isso que há uns dias o administrador do condomínio me dizia a propósito da balbúrdia que se passava no prédio "Não sabia que os professores agora eram assim!".
Vê tu que o gato dos novos vizinhos pavoneava-se por toda a parte, lá deixando a sua marca: cocó e chichi.
Não gostei da observação, mas nos professores como nas restantes profissões há quem se destaque.

bji gde

Ângela Almeida disse...

Há quem mereça certamente essa tua máxima de vida ... eu tb tenho horas k penso assim, porque alguém me faz pensar ... mas depois acabo por continuar a fazer o que acho certo ... mesmo que volte a ter surpresas desagradáveis ... penso é que com estes episódios passamos a ter mais cuidado a quem ajudamos ...

Jinhos

Carla disse...

Infelizmente já aprendi essa e outras coisas com a vida. :(

Mas vá, sorriso na cara que nós somos muito mais do que essa gentinha baixa! O que vale é um coração puro! :)

Karina sem acento disse...

Há pessoas que realmente não têm vergonha. Se alguma vez me emprestassem alguma coisa e pedissem de volta, eu pediria desculpa por não ter entregue mais cedo! Mas pronto, eu sou como tu, gosto de ser simpática e prestável, se bem que já comecei a aprender a não ser sempre assim. Há pessoas que não merecem :)

Jo disse...

Realmente, há pessoas com uma grande lata. Em vez de agradecer e se desculpar pelo atraso na devolução, ainda se sai com uma destas. Enfim...

Benedita disse...

Realmente! É preciso é descontração e estupidez natural!!! Grande lata!

S* disse...

Isso é bonito, sinal de que és genuinamente boa.

Miss Worm disse...

Falando em lata !! Há pessoas que não medem mesmo o impacto negativo que tem nas outras... ainda bem que muitos colegas aqui vêem , assim muitos vão saber o que aconteceu !! Fica o cartão de visita !

Maria disse...

Infelizmente, estamos sempre a aprender que não podemos ser muito bons porque abusam logo de nós.
E más colegas existem em todo o lado.

bjs querida Turista

Opinante disse...

Despreza-as!

Olívia Palito disse...

Há pessoas que têm uma lata... Mais uma atitude perfeitamente incompreensível. Às vezes não entendo as pessoas...


Beijinho grande, Manelita filha. Obrigada pelos presentes. ADOREI! :)

Scarlet Red disse...

É caso para dizer pobre e mal agradecida!

Rosa dos Ventos disse...

Não sabia que ainda estavas no activo!
Também me aconteceu uma cena dessas há uns anos...
Quase levei com o livro emprestado na cabeça depois de o ter pedido de volta vezes sem conta!
Por acaso continuámos como antes, sem grande intimidade mas sem animosidade!

Abraço

Com Duas Pedras de Gelo disse...

Que tristeza...
Este mundo podia ser bem melhor se as pessoas retribuíssem o bem que recebem.
Há pessoas ingratas em todos lados, mas também há boa gente. Continuo a preferir acreditar que as pessoas boas são mais do que as outras.

cantinho disse...


Costumava e costumo emprestar livros e outras coisas de agrado de quem me pede emprestado.
O grande problema era que o tempo passava e eu esquecia-me a quem emprestara "os meus pertences".
Fiquei sem livros, alguns do meu pai, enfim...
Há muitos anos atrás, entrei para a universudade, mais tarde que as minhas amigas de escola.Eu fora trabalhar.
Fiz 12º ano à noite, naquele tempo, e quando fui para a universidade, duas das minha amigas emprestaram-me dois livros.
Como trabalhadora estudante, não acabei o curso em 4 anos.
Quando fui para estágio, e uma vez que já não precisava do livros, fui a casa delas entregar-lhos.
Ficaram estupefactas: não se lembravam deles. E os mesmo estavam impecáveis, conforme os recebi.
O seu a seu dono, é o que faço sempre que peço algo (é raro) a alguém.
Ingratidão e pedantismo não faltam por aí.
Mas estas pequenas coisas magoam.
Esqueça-a.
Maria

Fernanda disse...

Querida Manuela, não ligue, há gente parva em todo o lado. Pior, é que parece que ultimamente nascem como cogumelos. Também tive a impressão que já estava aposentada! Coisas! Beijinhos

belle du jour disse...

Olha a estaferma! Até me deu uma arritmia quando li a parte do recado junto dos materiais! Mas já vista Manuela que lhe deste uma chapada sem mão?! Saberá com toda a certeza do conteúdo deste post. Um beijo da sobrinha

Turista disse...

Queridas Rosa e Fernanda, e estive quase, quase, quase, aposentada. Mas depois... o meu país não deixou! Por isso, o falar geralmente no pretérito!
É que neste país, há que trabalhar até cairmos, no sentido literal da palavra, infelizmente.

Beijinhos para todas as amigas. :)

Green disse...

Eu infelizmente já perdi essa máxima há muito tempo, porque já passou muita gente dessa pela minha vida.

Carlos Sousa disse...

Por essa ordem de ideias, qualquer pessoa que lê um blogue é coscuvilheira, certo?
Se entende que um blogue é algo intímo e particular, não deveria escrever, porque mais público não há.
Um blogue não é um diário que fica debaixo do seu colchão!

Turista disse...

Não Carlos, não é!
As pessoas minhas AMIGAS que leem o blog não vêm cá coscuvilhar, vêm cá interagir comigo e com os outros leitores! Comentam, dizem o que lhes vai na alma, no coração!
Quem vem cá às escondidas, a fazer de conta que não sabem nada, mas adoram ficar a par das minhas mágoas e alegrias, essas é que são umas cuscas!
E se um blog é um diário ou não, cabe a cada um de nós que o escreve, decidir se o é ou não!
O meu, por acaso é! :)
E já agora, qual é o seu blog?