sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Eu quero!


Há uma coisa que tenho constatado nos últimos dias e que me causa um bocadinho de urticária. Imaginem uma sala de pequenos-almoços de um hotel, onde os vários hóspedes, se deslocam a uma mesa para se servirem do que querem ingerir, no regime que geralmente se denomina de Buffet. Agora imaginem, duas mães com os seus petizes de dois, três anitos à volta do dito Buffet a perguntar aos pequenos o que é que eles querem comer e beber! Mas não é suposto crianças de dois ou três anos de idade, terem mães que estabelecem à partida, as refeições dos filhos e saberem perfeitamente o que eles gostam e devem comer? Os mais velhinhos, compreendo perfeitamente que se sirvam e vão buscar o seu sumo de laranja ou o seu donut. Agora bebés?
Mães, digam-me da vossa justiça, esclareçam-me!

Diálogo, numa destas manhãs:
Menina - queio aquilo!
Mãe - aquilo é leite de soja, tu não vais gostar!
Menina - mas eu queio, queio (em tom de birra)!!
Mãe - Está bem, está bem (em tom, ai que está toda a gente a olhar)!

30 comentários:

maria teresa disse...

Eu não "educo" os meus netos, no sentido lato do termo, tenho regras na minha casa quando eles estão cá e que são cumpridas... sei que eles são consultados "para tudo" de um modo similar ao que descreve no seu texto...tenho muita pena que assim seja, porque sei que o resultado não vai "ser famoso".
Abracinho

GuessWho disse...

assim dá "menos trabalho"...Sou mãe de duas crianças e estas cenas tiram-me do sério :( infelizmente existem muitas...

Ana disse...

Não sou mãe, ainda, mas espero não ser assim. Acho incrível a postura que muitas mães adoptam.

Beijinho querida *

Tulipa Negra disse...

É mais fácil ceder aos meninos do que contrariá-los. É que depois eles fazem birra, chateiam, os pais teriam de os educar e isso dá muito trabalho. Afinal, os pais também estão de férias (no exemplo, porque deve acontecer o mesmo no resto do ano) e precisam de descanso, para chatices já basta o trabalho. Enfim, sinais dos tempos...
Beijinhos

Autora de Sonhos disse...

É por essas e por outras que acho que vivo noutra dimensão! Mesmo!

Cate disse...

Há mães que não sabem estabelecer regras, é uma pena.

Tuquinha disse...

Como não tenho filhos, não gosto de opinar, pois houve alturas em que opinei e alguém me respondeu: que sabes tu? tens filhos? então cala-te.
A partir daí calei-me SIMPLESMENTE (duma coisa tenho a certeza: se os tivesse podes crer que não seriam educados como vejo actualmente)
Beijocas e BFS

Anira the Cat disse...

Eu não sou mãe, sou tia, mas os meus sobrinhos sabem que comigo há regras e não há birras. Acho mal que se ceda a todos os caprichos das crianças, só para evitar uma cena (mas assim haverá sempre tendência a piorar, digo eu...). Quando era pequena, a minha mãe não me dava tudo o que queria, e acho que isso me tornou uma pessoa mais equilibrada...

Bjokas

Rita G. disse...

Como mãe que sou vejo que muitas coisas que dava como certas antes, hoje tenho as minhas dúvidas. Acho normal crianças de 3 anos escolherem o que querem para o pequeno-almoço num hotel. Estão num local diferente e os pais tb lhes dão um pouquinho mais de liberdade para escolher coisas diferentes.Uma criança de 3 anos pode comer de tudo sem reservas. E isso de toda a gente olhar, paciência, porque as crianças não são robôts e os pais não as "telecomandam":) São crianças e lá por fazerem uma birra ou outra não quer dizer que sejam mal educadas, é apenas próprio da idade. Acredita, eu antes de ser mãe tb tinha certas opiniões que mudaram radicalmente quando tive uma filhota:) Acho que muita gente diz certas coisas só até ao dia em que tiver um filho. Quando esse momento chegar vai ver que todas as crianças são diferentes, umas mais agitadas, outras mais calmas e nem sempre o seu comportamento é sinal de que os pais não os sabem educar. Bj:)

Sofia disse...

Quando os meus pequenitos eram mais novos, eu fazia uma selecção de coisas que eles pudessem gostar e levava para a mesa. Aí eles podiam escolher se preferiam este pão ou o bolo. Eu comia o que eles não escolhiam ( eu gosto sempre de tudo!!!!).
Bj

Manuela disse...

Minhas queridas,
hoje não vou responder aos vossos comentários, individualmente, como costumo fazer.
O que queria, era alguns esclarecimentos, na maneira de actuar, perante estas situações.
Vocês esclareceram-me e eu só posso agradecer a todas, as vossas opiniões.
Mas como diz a Rita G., se fosse mãe, veria as coisas por outro prisma :)

Muito obrigada a todas e beijinhos, minhas queridas.

Fuschia disse...

Não me parece errado que pergunte aos miudos o que querem comer.Não significa que comam tudo o que querem, mas têm de ser ensinados desde pequenos a fazer escolhas.

Dudu disse...

Também depende muito das criança, como mãe sempre que estávamos num ambiente diferente dei a escolher até porque em alguns sítios serviam coisas que não é o habitual e nunca me dei mal. Como tia sei que não posso fazer o mesmo, digamos que é muito parecida com aquilo que descreveste logo a nossa postura têm de ser diferente e neste caso não têm tem que ver com a educação, não querendo generalizar, é mesmo a inquietude, curiosidade e a constante forma de testarem os pais.

Leila Reis disse...

há quem não tenha nascido para ser mãe, e depois faça estas figuras, mas pronto, que nos sirvam de exemplos para um dia mais tarde :)

Manuela disse...

Fuschia, Dudu, Leila, muito obrigada pelas vossas intervenções.

Beijinhos, minhas queridas.

Custódia C.C. disse...

Quando desistem de ser anjos, uns diabinhos é o que muitas vezes são as criancinhas, uns verdadeiros diabinhos ...

Manuela disse...

Custódia, querida amiga, continuação de boas férias :)

Violet* disse...

Lol eu tb não sou mãe por isso não sei como reagiria a uma situação dessas. Mas acho que ceder facilmente não será nunca o melhor caminho =x digo eu...

nuvem.de.algodão doce disse...

Se calhar quando formos mães iremos ver a coisa de maneira diferente. Mas uma coisa é certa, duvido que irá ceder às exigências dos mais novos. É que isso é meio caminho para mais tarde não lhes conseguir pôr um travão.
*

Manuela disse...

Violet* e Nuvem, obrigada pelos vossas sinceras opiniões.

Beijinhos, minhas queridas.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não sou Mãe, como é notório, mas já tenho deparado com situações dessas, o que me encanita. Em abono da verdade, vejo mais vezes as mães a decidir. Como a minha mãe fazia comigo, aliás...

Manuela disse...

Carlos, obrigado pelo comentário.
Um abraço.

Rogério Pereira disse...

Se a miudinha fez birra é porque a birra resulta, né?

Mãe que escolhe? Mãe que permite a escolha? Mãe que aconselha a escolha? A boa mãe sabe fazer tudo isso, no momento certo e dependendo da circunstãncia...

Foi bom o post, faz reflectir sobre os pequenos gestos da educação!

Manuela disse...

Rogério, obrigado pela reflexão.

Um abraço.

Ana Cavalcantti disse...

Oiii
Olha talvez qdo eu for mãe eu vire uma "palerminha" rs..não posse dizer..mas olhando de fora acho que uma mãe deve ter total controle em impor limites , talvez eu perguntasse o que eles querem comer, mas dentro daquilo que já expliquei que deve ser feito....não que crainças ja tenham que estar entendendo tudo , mas tudo bem, a cada erro temos que ir explicando né ?
Beijos

Manuela disse...

Ana, obrigada pela tua opinião :)

Beijinhos, minha querida.

Texturas disse...

Olá Manuela!!Desde já agradeço as tuas leituras pelo meu blog!!Apesar de ainda não ser mãe, vejo pelos meus "meninos" que a educação de hoje em dia já não é mesmo a mesma..espero que com estes comentários de pessoas como tu, esta situação mude! beijinho

Manuela disse...

Leonor, obrigada pela tua sábia opinião!

Beijinhos, minha querida :)

MARIA MARIQUITAS disse...

Educar é uma tarefa super difícil. Tenho duas filhas e vejo-me muitas vezes à rasca! Não é fácil acertar sempre, nem sei bem se temos essa "obrigação". Só sei que muitas vezes já estamos demasiado cansadas para as contrariar. Acho que uma mãe erra sempre, mas tentamos sempre fazer o melhor. Mas orientação é fundamental, demasiada "liberdade" nessas idades só põe as crianças confusas...

Beijinhos!

Manuela disse...

Maria Mariquitas, obrigada pela tua sábia intervenção :)

Beijinhos, minha querida.