domingo, 30 de outubro de 2011

Eu e o meu outro eu.




A Vânia publicou estas fotos maravilhosas "que fazem parte uma campanha brilhante feita pelo fotógrafo Tom Hussey para a Novartis, alertando para doenças, como o Alzheimer."
Eu acrescento: mesmo não padecendo da doença, com o caminhar da idade, todos nós levamos uma fracção de segundo para reconhecer aquela imagem que o espelho nos devolve...
Na nossa mente ficou retida para sempre, a auto-imagem da nossa juventude.
Verdade?

35 comentários:

Só sedas disse...

Ainda não posso responder a isso, Manuela, mas a julgar pelo que vejo na minha avó, para quem ainda mantém um espirito jovem e a alegria de viver, é verdade!

Obrigada pelo seu carinhoso comentãrio. Os parabéns já foram entregues e agradecidos.

Beijinho

Marta disse...

Verdade verdadeira!!!

mari disse...

aiiiii ... não anseio nada por esse momento :(
**

Green disse...

Adorei as imagens, e tens toda a razão.

Vânia disse...

querida Manuela obrigada pela referência, um grande beijinho:-)

Cláudia N. Matos disse...

Totalmente verdade!
É incrível como o tempo nos muda...

abspinola disse...

Verdade concordo contigo Manuela.
Bjstos

verniz escarlate disse...

geniais.

Letícia* disse...

É verdade Turista, é na nossa mente que a nossa história de vida prevalece e imagens de um nosso eu mais distante estão sempre aparecer diante do nosso olhar...

Beijito*

Miss Scarlet Red disse...

Não sei se será bem assim. Eu comecei a perceber que estava a 'crescer' quando, de manhã, acabada de acordar, a cara que o espelho me devolvia era a da minha mãe e não a minha... lol!
Quando me vejo ao espelho gosto dos meus 41, das primeiras rugas no canto dos olhos. Estranho mais ao ver as fotos antigas, acho que a idade me tornou mais bonita, mais igual a mim mesma ;)

Fernanda disse...

É bem verdade Manuela!Vejo-me interiormente com a imagem que tinha aos 30 anos. Depois olho para o espelho e a imagem que ele me devolve, bem também não é a idade que tenho, que estou bem conservada (baba), é quaaase a que tenho! É triste, mas também é o resultado de uma vida vivida e, isso é muito gratificante.

Luisinha disse...

Imagens fantásticas!! E estou plenamente de acordo contigo!!

Bela Monstro disse...

Gostei mesmo desta campanha.

Luís Coelho disse...

Nunca conseguiremos entender as doenças, o desgosto e a dor.

Quando estamos bem dizemos:
- Não aguentaria aquela situação...

Depois nem nos apercebemos que estamos dentro da situação e tudo se passa naturalmente.

Parece-me que em muitas situações sofre mais quem acompanha o doente.

Sofia disse...

Que imagens espectaculares. Eu entendo-as...entendo-te:)

Rogério Pereira disse...

Três comentários (hoje estou mãos largas):

1º - As fotos são de tal forma boas (e belas) que me apetece roubá-las
2º - Não há nada como reconhecermo-nos no que somos, amar as rugas que temos, os cabelos brancos que ostentamos. O nosso rosto é a vida inteira, com expressão...
3º - Se o reflexo no espelho é a nossa alma, que bom vê-la tão jovem...

Palco do tempo disse...

bem que trabalho deste belo fotografo :) mas que doença :/

Evanir disse...

A vida é magia e encanto.. é preciso preservar a beleza dos nossos corações.
Saber olhar com pureza de alma respirar como se nascêssemos a cada instante!
A felicidade e a Magia é algo, que entra em nossas vidas, com total explêndor.
Hoje sinto que renasci novamente estou muito feliz por isso
estou aqui .
Carinhosamente convido você a ler a postagem do meu blog.
Aquilo que pode parecer pouco para muitos
para mim é tudo de bom que poderia acontecer nessa fase
da minha vida.
Gostaria muito de ler seu comentário no meu blog.
Uma linda semana beijos.
Evanir(EVA)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Uma campanha de excelência, amiga Manuela. Não retenho muito a minha imagem da juventude,mas não desdenharia recuperá-la, mesmo neste tempo de crise violenta que marcará a geração actual e a que se segue.

Manuel Cardoso disse...

Reconheço que é normal que isso aconteça. Mas eu acho que sou anormal :)
Graças a Deus :)

O meu pensamento viaja disse...

Manelinha, será?
Será que o tempo não se condoi e nos vai servinho, às colheradas, o xarope da habituação?
Tenho esperança que sim, que não sofra o choque de não me reconhecer.

Obrigada pela informação.
Numa destas 5ª feiras em que tenha disponibilidade hei-de ir a Âncora.
Beijo da Nina

Catarina disse...

Concordo com o Luís Coelho quando se trata de Alzheimer.

Marta disse...

as imagens estão fabulosas, sem duvidas! O Alzheimer, entre todas as outras doenças, é aquela que me assusta um bocado mais. Começar a perder as capacidades básicas e deuxar de reconhecer os familiares, deve ser algo assustador!
Quando à perca da juventude, não é importante o que o que o espelho nos transmite, mas aquilo que nós sentimos quando nos olhamos ao espelho!
beijinhos

Pretty in Pink disse...

Até a mim que tenho apenas 23 anos já me começa a acontecer!
As fotos são lindíssimas!

Beijinho*

Carlota Pires Dacosta disse...

Ao ver estas imagens, lembrei-me de um post que escrevi:

"O vidro mostra o reflexo de uma cara envelhecida.
Não sei quantos anos passaram.
A "loucura" enclausurou-me do mundo. O mundo que em tempos vi verde, azul, vermelho, de todas as cores possíveis e imaginárias.
A dor, a perda, tomaram conta de mim. Deixei-me levar, como se leva uma criança pela mão. O início foi bastante doloroso, uma dor que sufocava o meu peito, deixava-me sem ar, deixando-me esgotada, exausta.
As lágrimas, escorriam pelas faces.
Quis morrer. A vida não fazia sentido.
Dava por mim a vaguear pelas ruas, de noite, de dia. Nem sei quantos dias passaram sem que comesse, bebesse. Queria esquecer quem fora, queria esquecer a dor, essa dor sufocante.
Sorria, cantava, gritava. O mundo passou a ser o que eu queria. Se hoje chovia, amanhã nevava. Se agora era dia, logo era noite. Fui vivendo ao sabor do vento.
Fui esquecendo.
Perdi-me.
Agora, encontrei-me. Não conheço quem está no vidro. O cabelo grisalho, a pele enrugada, o olhar triste. Olho para as minhas mãos, vejo uma pequena cicatriz na mão esquerda. Eu tinha uma cicatriz igual. Mas era nova, o cabelo tinha uma pequena madeixa de brancos, à frente, a pele era lisa, o olhar, meu Deus o olhar, olhos mágicos os meus.
Onde estou? Quem sou?
Uma lágrima, escorre pela face.
O vidro embacia-se. Vou deixando de ver aquele rosto velho, enrugado.
Ao longe, o mar revolto, bate nas rochas"

Ri disse...

As imagens são fabulosas e sendo o Alzeimer uma doença que conheco bem... Essas imagens ainda me tocam mais. Mas sugere-me dizer que não é só a imagem que temos de nós como a que os outros tem de nos, tbm...

Percebes?? disse...

Lindo mesmo:)

Lux disse...

Ainda não sei querida... Mas penso que sim!

xoxo
Lux

AVOGI disse...

as imagens estao fabulosas, aliás sai fabulosas e deixam-nos a pensar
kis :=)

mfc disse...

Uma luta que merece todo o nosso apoio!

LopesCa disse...

Estão bonitas, é uma boa e válida campanha.

Naná disse...

Adorei as fotos! E palpita-me que vou sentir isto... quer venha a sofrer de Alzheimer ou não!

Fiona disse...

Que fotos realmente maravilhosas! E tens toda a razão quando dizes que tendemos a reter na nossa memória aquele rosto jovem de outros tempos. Acho que acontece com toda a gente com o passar do tempo.

Mãe da Rita disse...

Fantásticas estas imagens!

Ana Sá disse...

Bem... essa doença é terrível, é só o que posso dizer.