quarta-feira, 16 de novembro de 2011

A Crise!!


Este sentimento de culpa que nos aflora, quando fazemos algo que achamos que não está dentro dos parâmetros da crise, está a ser demasiado castrador.
Parece que nos inibimos de dizer que comprámos aquele casaco, lindo! Parece mal, ser vaidoso! Parece mal, fazer compras! Parece mal, andar com sacos das lojas, na mão!
Ou que fomos um fim de semana, para um hotel! Parece que estamos a gastar dinheiro mal gasto! E que não é o nosso!
E nem pensar em dizer que se tiraram dois dias de férias para se juntar aquele feriado e assim apreciar umas mini-férias. Parece que não se está a contribuir para o sacrifício nacional! Parece que somos menos produtivos, por isso!
Parece mal (ponto de exclamação final)!
Politicamente incorrecto, dizer que a vidinha de sempre, se vai levando menos mal...
Tem tudo de ser muito sofrido, e com muitos: Isto está tãããããão difícil! Isto está tãããão mau!
E quando em conversa se afloram estes assuntos, os nossos interlocutores olham-nos com um ar que nos sentimos logo, como as crianças apanhadas em falta!
Demagogias?! Estou cansada delas! Farta!
E entretanto, parece que andamos todos a viver, uma vida adiada! E o que eu detesto vidas adiadas!!
A vida é para ser vivida na sua plenitude!
Teçam as vossas considerações...

31 comentários:

Sofia disse...

Vidas adiadas e muitas delas hipotecadas. A incerteza é horrivel, o medo assombroso. Felizmente continuo a governar a minha vida sem grandes alterações...mas sinto muito quando ouço no noticiário que há cada vez mais pedidos de ajuda que ficam sem resposta...
Beijinho grande,
Sofia

Rita G. disse...

Para mim é claro como água: cada um deve viver na medida das suas posses, e quem pode passar férias fora, comprar coisas bonitas, deve fazê-lo. Se eu não posso não o faço, mas não é por isso que acho que quem gasta está de alguma forma a ofender-me...isso é ridículo! bj:)

Dear Daisy disse...

Tenho sentido tanto tudo isso que descreves...e estou farta!
Quando é que isto vai acabar?
Noticiários que nunca dão bom tempo, que alarmam as pessoas até ao limite...

tavares disse...

Como eu te compreendo, quando digo que fui jantar fora com o meu marido, sinto logo uns olhares..... Mas fogo, e se amanhã não estiver cá? Eu tento viver a vida todos os dias. Beijinho e boa quarta-feira.

Opinante disse...

Acho que devemos aproveitar mais a vida e pensar que hoje estamos cá, amanhã sabemos lá... chega de lamentações, afinal de contas para que servem? Não mudam o mundo, podemos mudar sim a nossa forma de ver e encarar as situações, tentando descobrir o que existe de positivo em cada uma delas...

Por isso, bola para a frente e toca a aproveitar a vida :D

estrela disse...

Olá Turista boa tarde,

este assunto é bom, por acaso tens razão anda tudo a apontar o dedo a qualquer coisa que se faça fora do ambito da crise!!
:)
cada um vive de acordo com as suas posses e pronto ninguém tem que fazer comentários...hoje estamos bem devemos aproveitar!!!

bjs Manuela

Fiona disse...

Como as tuas palavras fazem sentido... Tudo bem que a crise está aí, que é necessário apurar mais os cuidados de poupança, os tempos estão difíceis mas isso não significa que deixemos de viver e de aproveitar tudo aquilo que a vida nos pode dar. Temos é que reaprender a fazê-lo. E nunca cruzar os braços, acima de tudo. Porque depois pode chegar um dia em que vamos achar que já é tarde demais e que poderíamos ter feito tantas coisas de uma outra forma...

ana disse...

Concordo plenamente. Eu por acaso não tenho o hábito de falar do que compro ou não mas realmente as vezes até nos sentimos constrangidos de dizer que fizemos isto ou comprámos aquilo. Claro que o tempo é de contenção seja a bolsa grande ou pequena. Mas cada um sabe de si e do que pode ou não fazer.
Não critico nem condeno quem gosta de mostar as ultimas compras, nem de mostrar a ultima viagem ou o ultimo fim de semana prolongado.
Infelizmente nem todos o podem fazer mas a vida sempre foi assim
com crise ou sem ela.
beijinho

Ana disse...

concordo contigo, a vida deve ser vivida em pleno, e da maneira como cada um quer.
beijinhos

Violet* disse...

Eu concordo contigo e com a Rita G. devemos viver conforme as nossas posses, mas nao deixar d fzr nada k nos faça feliz no momento, nao sabemos se amanha ainda vamos estar aqui e se nap estivermos vamos ter perdido algo que nos podia ter feio mais felizes.
Por isso eu vou poupar sim por causa da crise, mas nao evitar o que me fizer feliz =)

Rui da Bica disse...

Tens toda a razão ! Senti-me constrangido em Junho do ano passado quando fui passar uma semana de férias a Nova York ! Porquê, se não tive que pedir nada a ninguém e a ninguém devia nada ?...
Claro que também para não parecer "gabarolas", numa altura em que sentia que a grande parte das famílias não o poderiam fazer sem terem que se empenhar.
.

Miss Scarlet Red disse...

Há que ter equilíbrio, nas contas como nas atitudes. Infelizmente somos muito dados à criticazinha cínica, à invejazinha de algibeira. Cada um sabe de si e Deus sabe de todos.
Importante é ser solidário e não fechar os olhos. Atirar pedras ao ar é uma atitude mesquinha.

Montana disse...

Penso que devemos gerir as nossas despesas conforme as nossas possibilidades financeiras. Se podemos gastar uns euros em algo que nos dê prazer, porque não? Até porque se deixarmos de jantar fora, ir á pastelaria, cabeleireiro, fazer um fim de semana fora ou fazer umas comprinhas este país pára. Então as coisas ainda pioram mais. E não percebo como os nossos governantes não vem isso.

Marta disse...

Podemos viver no caos mas eu não me sinto em crise. Não permito ceder a uma vida limitada. Vivo com o que tenho e sou feliz. Tenho algo que é essencial, saúde. Com este bem faço qualquer coisa. Se tiver de trabalhar mais horas, trabalho. Se tiver de reduzir os luxos (já tão poucos) reduzo, mas sou feliz e não me queixo, afinal, há sempre quem esteja pior, muito pior em todos os cenários.
Vivo a vida como a única que tenho e dou muito valor, muito mesmo. Não lamento, vivo!
Um beijinho grande.

Palco do tempo disse...

a vida é para se viver e não para ser adiada :) Agora que a crise veio tentar adiar isso é verdade mas nem 8 em 80, também merecemos ser mimadas :)

S* disse...

Só gasto o que tenho, por isso não tenho problema nenhum em assumir que comprei cinco ou seis peças nas últimas semanas.

Com Duas Pedras de Gelo disse...

Eu vejo muitas pessoas a fazerem a mesma vida que sempre fizeram, acima das suas possibilidades. Mas depois põem um ar sorumbático a dizer que a vida está difícil e que o dinheiro não chega para tudo, como se os outros tivessem de contribuir para o orçamento deles. Já perdi a paciência com esses casos.
Quando se vê o estudo que diz que os portugueses pretendem gastar mais de 500 euros no Natal fica-se com a ideia de que a crise não existe. E não me venham dizer que smatphones novos são bens de primeira necessidade...
Cada um deve viver dentro das suas possibilidades, E não tem que dar justificações ao vizinho.
Não sei o que me espera no futuro, mas como sempre tive um consumo responsável, resta esperar pelo que aí vem.

Turista disse...

Minhas amigas e meus amigos, agradeço os vossos comentários, plenos de bom-senso.

Beijinhos, minhas queridas e meus queridos.

meninaluaprimavera disse...

concordo consigo Manuela mas vejamos, também muita gente por aí que faz de conta que a crise não é nada com elas e isso nem sempre é bem assim...

Karina sem acento disse...

Compreendo-te perfeitamente. Sim, isto da crise mete medo. Sim, apetece-me arriscar e ir lá para fora antes que seja tarde demais - como já o disse no meu blog - mas não deixo de viver a minha vida por causa da crise. Posso ter atenção a certos gastos, não ando aí a esbanjar o dinheiro, nem, muito menos, gasto o que não tenho. Mas a vida é agora. Sei lá se estou viva quando a crise acabar, mais vale gozá-la hoje.

abspinola disse...

Concordo que devemos viver em pleno e aceitar o que temos, nunca viver acima do que não temos na realidade.
Sempre na maxima moderação.
Infelizmente há pessoas em que a sua vaidade e materialismo é superior e adoram exibir o que tem e por vezes o que não tem.
Sou feliz com o pouco que tenho devemos dar graças a deus de ter saude em pleno e trabalho.

Bjstos

Rosa dos Ventos disse...

Não parece nada, querida Manuela!
Se o pudermos fazer estamos a contribuir muito positivamente para que a economia não empurre mais gente para o desemprego!
Não gosto de fazer compras para mim mas não critico quem as faz.
Acho que nada me fica bem daí não perder tempo comigo...quanto a compras para a família e amigos faço-as de acordo com o calendário! :-))
Já fins de semana, escapadelas simpáticas em locais aprazíveis sou fã!
Realmente os meus comentários devem parecer-te críticos por demonstrar excessivamente o meu desinteresse pela moda mas vou parar de os fazer, juro! :-))

Abraço

Anna^ disse...

Manuela, estou em completo e total acordo com as tuas palavras!

beijinho

mfc disse...

Não fiques com esses complexos de culpa...
Quem gastou a mais não foste tu... foi quem não estáa contribuir como tu para a solução da crise!

Luisinha disse...

Eu não me posso queixar, e detesto aquelas pessoas que passam a vida a falar da crise, já não se aguenta. Claro que ela está aí, mas temos que continuar a viver da melhor forma possível, se calhar com mais cuidado, mas viver!!!! Mas de facto, por vezes sinto-me constrangida em falar do que compro, ou não, do que quero, se vou jantar fora!!! Parece que fica tudo a olhar com desaprovação, tipo tás parva ou quê?? Enfim...
Por mim vou fazer tudo para viver, ser feliz, e gastar o que puder, enquanto puder, com bom senso, claro!!
Bjinhos

Naná disse...

Ai Manuela, nem imaginas como ando cansada desta maldita crise... sou uma pessoa optimista por natureza, mas este sentimento generalizado nas pessoas de que tudo vai mal, e é tudo uma grande desgraça, já está a ser uma tormenta para mim... vivemos tempos difíceis? claro que sim! Mas quanto mais se andar a remexer nisso pior é, e não se resolve nada estarmos com este ar de "fado"! Há quem arregaçar as mangas e levantar a cabeça, porque para a frente é que é caminho!

carol disse...

Isso é tudo culpa da comunicação social que nos oprime e desgasta com as mais tontas das sondagens e com as mais disparatadas das entrevistas, já para não falar dos carracentos dos políticos desta governação destruidora. O pior é mesmo o dinheiro que antes dava para tudo isso e agora já não dá. O pior é as pessoas quererem comprar isto e aquilo para os filhos e para o frigorífico e o dinheiro já não dar. Isso é que é demolidor e constrangedor!

Turista disse...

Querida Rosa dos Ventos, quero que continues a fazer sempre os teus comentários, por favor!! Tu sabes que eu adoro a tua veia anti-moda! :)

Beijinhos, minha querida.

Petra disse...

Olha manuela cada um vive da maneira que pode... e ja me irrita ouvir toda a gente falar de poupança, crisa put@*a que pariu! Ganho um salário mediano sim não é alto, mas não é baixinho... mas te digo, poupar sim... mas não morrer aos poucos!
amanhã posso ser atropelada, e o dinheiro fica cá para quem????? Gozarabidacarai!

GuessWho disse...

Eu até digo mais Manuela: parece mal, rir e dizer que se está feliz! Bem sei que, infelizmente está muito gente a passar mal e que eu própria me interrogo sobre o desemprego e se ele não me poderá bater à porta...mas concordo contigo pois não podemos morrer antes de tempo! Bjs Paula

Green disse...

Eu concordo contigo, ninguém viu o dia de amanhã, e se isto está mau, só temos de aproveitar a vida ao máximo e divertir, apreciar, passear, rir, viver. O resto, fica para outra ocasião.