sexta-feira, 2 de março de 2012

2. Mãe

Neste segundo dia do desafio da Anita, não tive qualquer dúvida sobre quem falar.
A mãe sempre foi uma figura marcante na minha vida. Sempre tive grande afinidade com esta mulher de garra que me acompanhou ao longo da vida, nas mais diversas situações, sempre aconselhando, dando força e alento.
Quando por vezes se diz que gostamos do pai e da mãe da mesma maneira, eu não posso concordar: sempre preferi a minha mãe, tal como ela se identifica muito mais comigo, do que com a minha irmã.
Não há que esconder estas preferências, até porque somos todos adultos e gerimos muito bem estes sentimentos.

Em Novembro passado, de volta das suas flores e plantas que cuida com enorme agrado!(cortesia da minha grande amiga Custódia)

Tendo ficado viúva, ainda relativamente nova, continuou a viver a sua vida com independência, autonomia e nunca se deixou ir abaixo, por ter ficado sem o meu pai.
Hoje com os seus mais de oitenta anos, continua a afirmar-se na vida.
E se por vezes tem atitudes de segunda infância, deixando um rasto de lenços de papel, por onde passa (quem já leu alguns textos anteriores sobre a minha mãe-pequenina, sabe do que eu falo, não é minha querida Avogi?) e fazendo birras porque não quer comer um determinado prato, outras vezes há que ainda me dá dois berros por eu me ter esquecido, de algo que ela pretendia, tal como o fazia quando eu tinha dez anos.
Longa vida à minha mãe-pequenina!

36 comentários:

Dear Daisy disse...

Que bonito, Manuela...
Beijinho grande às duas!!

Niki disse...

Que lindo!

Longa vida a tua Mãe pequenina Manuela!

Beijinho

Philippa Style disse...

Manuela, longa vida à sua mãe!

Beijinhos

rosa_chiclet disse...

Que grande mulher :)
kisses***

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

Adorável :)*

ombemua disse...

Foi tão bom ler isto!
Bom dia querida
Baci*

Karochinha disse...

Sim, isso mesmo, desejos de uma longa e saudável vida à sua Mãe pequenina, já agora a todas as Mães, porque elas são tão especiais...adorei o seu testemunho!
Muitas beijocas nossas ;)

abspinola disse...

Bom dia Querida Manuela ,
Um belo texto adorei veresse sentimentos tão lindos.
Bjstos
Um excelente dia para ti

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

E vivam as mães :))

Naná disse...

Quem me dera ter cá a minha mãe para um ralhete desses!
Uma mãe assim é ouro puro!!

La Sevilhana disse...

Amor de mãe é sempre amor de mãe.

Karina sem acento disse...

Que maravilha :) Mãe é mãe, ponto final ****

mão da mãe disse...

muito bonita, esta declaração de amor à tua mãe pequenina!
dia feliz*

Opinante disse...

Mãe querida, mão querida :D

Sofia disse...

Um belo texto e uma bela Mãe. :)

Flor de Jasmim disse...

Manuela querida
Não tenho palavras para classificar estas tuas que são belissimas e sentidas. Amei.

Como já te disse amei muito meu pai que partiu muito jovem, mas foi com ele que fiquei aos 8 anos quando minha mãe nos abandonou, no entanto á muito pouco tempo atras aprendi a amar a minha mãe.
O único filho que ela criou colocou-a num lar de onde a retirei à 5 anos, hoje sinto o maior orgulho por o ter feito, não aceito uma certidão de óbitos passada antecipadamente muito menos a alguém que nada necessita de estar num lar, hoje ela com 85 anos vai a todos os almoços de reformados a excurções, pelo carnaval dançou a noitinha toda, no dia seguinte perguntei não lhe dói as pernas, elas respondeu estou pronta para outra noitada de bailarico.
desculpa a extenção.

Beijiho e uma flor

Logo tenho reunião com a proteção dos menores, mas mando-te mensagem.

Fernanda disse...

Aproveite bem , querida Manuela, a presença da sua mãe pequenina, pois só quandoelas partem sentimos como todos esses momentos passaram tão rápido, foram tão curtos. Eu perdi a minha há dois meses e todos os dias aa saudade vai aumentando, a dor de saber que a não vou ver mais (apesar de nos últimos temos já não me reconhecer...).

carla disse...

Nada como uma mãe pequenina para nos aquecer o coração.

Longa vida à mãe pequenina!

Flutuações da mente disse...

Mimosa :-)

Mamã Petra disse...

Fabuloso!!

Ba disse...

Foi uma bonita homenagem à tua Mãe. Bjinhos

ana cerneleanu disse...

Longa vida!!!!
Beijinho e bom fim de semana para ti

Isa E. disse...

Quanta ternura, Manuela! Que linda mãe-pequenina você tem. Um beijinho para as duas :)

Letícia* disse...

Uma mãe muito linda Manuela *-*

Beijito* enorme as duas :))

***

Tanita disse...

A tua mãe é uma senhora muito bonita. Muitos anos de vida e de felicidade.

AvoGI disse...

Minha doce TURISTA!
fizeste-me lembrar daquela qu eme fez feliz durante muiot tempo e que me tem feito chorar muito desde a sua partida, olha, estou outra vez, poça, nao posso falar dela,
desculpa,
kis :=(
e sabes, tnho evitado falar mas nao há um momento do meu dia em u enao me lembre dela.obrigada pelas tuas palavras e é mesmo assim, lenços migalhas papel casacos abandonados pelo chão mas MAneLA
aproveita a tua mãe tal como eu apriveitei a minha tia,embora por vezes pense que podia ter feito mais do que aquilo que fiz

obrigada minha doce turista

Beu, a Ruiva. disse...

Querida Turista,
Que lindo texto à tua linda mãe.
Amor de mãe será sempre amor de mãe.
Um beijo enorme para ti e para tua mãe pequenina :)

Custódia C.C. disse...

Difícil é acreditar que a minha Amiga já passou dos 80 anos.
Se lá chegar, quero ser como ela :)

Reflexos disse...

Mãe é Mãe. Pai é Pai e cada um tem o seu lugar lábem no meio do Coração... e 'mainada'!

Evy Percebes disse...

Um beijinho para a tua mãe e outro para ti;)

maria disse...

Que lindo :)

Longa vida às duas :)

Beijinhos :))

Clouds of Chocolate disse...

Que bonito! :) Beijinhos às duas :)

belle du jour disse...

flôr de jasmim, as suas palavras comoveram-me. a vida não foi fácil, mas a flôr teve a ousadia e sabedoria de dar a volta aos problemas e assim mostrar que o amor vence e perdoa tudo. ninguém é perfeito. beijinhos. vou espreitar o seu blog

Ângela Almeida disse...

Lindo !!

Acabei de me recordar de um poema do Drummond de Andrade que refere que mãe não devia partir nunca ...

"Para Sempre

Por que Deus permite que as mães vão se embora?

Mãe não tem limite, é tempo sem hora,luz que não se apaga quando sopra o vento e chuva desaba, veludo escondido na pele enrugada, água pura, ar puro, puro pensamento.

Morrer acontece com o que é breve e passa sem deixar vestígio.

Mãe, na sua graça, é eternidade.

Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?

Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca, mãe ficará sempre junto de seu filho e ele, velho embora, será pequenino
feito grão de milho."

Um grande beijinho

Me,myself & I! disse...

A minha bisavó também deixa um rasto de lenços por onde quer que passe...
Até costumas escondê-los debaixo dos punhos das camisolas, nos bolsos e até no soutien!!

" Smile disse...

Que seja sempre assim, por muitos anos
Felicidades
beijinho