sexta-feira, 23 de março de 2012

23. Solidão

Oferecido pela querida Ana.

Inquieta-me a solidão que se vive actualmente, nas grandes cidades.
Inquieta-me as notícias contantes, de idosos que morrem sozinhos e passam dias, antes de alguém dar pela sua falta.
Inquieta-me as faltas de bons dias, dos sorrisos, dos cumprimentos, do não saber com estão os nossos, do corre-corre constante, das multidões nos centros comerciais, das filas de trânsito, das ruas cheias de pessoas, em que cada ser humano é uma ilha.
Tanta gente e tanta solidão!


20 comentários:

Fifi disse...

A chamada "modernidade liquida"...

Mamã Petra disse...

A pior solidão de todas, estão sós no meio da multidão.

Rosa dos Ventos disse...

Não é apenas nas grandes cidades, querida Turista!
Onde há pessoas, há solidão...as pontes que nos unem muitas vezes são levadiças!
Cabe a cada um de nós baixar a ponte e ajudar a baixar para haver comunicação!

Abraço

Carla disse...

Também me preocupa isso. Espero ser capaz de estar sempre presenta na vida de todos quantos necessitarem de mim!
Um beijinho para ti :)

Isa E. disse...

Acredito que essa solidão, cada vez maior, é fruto do nosso medo. Estamos cada vez mais fechados para a vida e para as pessoas!
É uma pena...
Beijinho :)

Opinante disse...

E imagina eu que trabalho com idosos... a solidão é mais vulgar do que o que se imagina...

saboracasa disse...

bem verdade tanta gente e tanta solidao .... so depende de cada 1 deixar de estar sozinho ...
Quem normalmente nao recebe visitas , telefonemas , ... e quem normalmente tambem nao o faz

Devesse a falta de tempo tambem, e um ciclo ...
BFS

Sofia disse...

É verdade. A mim também me inquieta isso tudo, é assustador. :(

Bom fim-de-semana. Beijinho*

Alice disse...

Não podia concordar mais.

As pessoas deviam preocupar-se em contruir pontes em lugar de muros!

Querida Manuela, espero que já estejas recuperada.

Beijinho e Bom fim-de-semana

Green disse...

Também me custa pensar nisso, e é nessas alturas que percebo o quão sortuda eu sou por ter nascido e crescido numa aldeia, em que todos se conhecem, todos se dão bem todos se ajudam, é tão bom.

Joa disse...

Bem verdade turista!! é preocupente mesmo! **

Joa disse...

Tive de publicar este texto no meu blog devidamente identificado. Espero que não me leves a mal. Bjinho

Letícia* disse...

Isso é de facto muito assustador :/

Penso que as pessoas deveriam começar a pensar um pouco mais, eu tenho para mim que ninguém deveria gostar de morrer sozinho, não é?

Enfim ...

Montana disse...

A mim também me assusta.
Beijinhos.

Petra disse...

Penso tanto nisso querida Manuela.. Para mim que cresci e vivi na provincia isto faz-me uma confusão tremenda acredita beijo enorme..

mfc disse...

Sim... a solidão é detestável e a sua percepção também!

Graça Sampaio disse...

Receio muito a solidão, embora goste e precise muitas vezes de estar só.

Ana Sofia disse...

...a mim tambem...não apenas as dos outros mas a minha própria...por é que tento diariamente metigar na medida do possível a minha e a dos outros...às vezes com uma simples palavra ou lembrança...se cada um de nós tirasse 5 min do dia para o fazer de certeza que não seriamos cada vez mais escravos da vida "moderna" bj*

Scarlet Red disse...

A mim, como tu bem sabes, também me inquieta muito esta questão. Vivo com um bocadinho de sentimento de culpa por não estar mais presente na vida das minhas princesas. Mas não é fácil a vida do dia a dia e o cansaço vence... creio que, nestes tempos em que o governo não nos governa da forma ideal, em que um cêntimo se avalia contra uma vida, é chegada a altura de sermos nós, cidadãos, filhos, sobrinhos, netos, vizinhos, etc. a criar redes de apoio.
No prédio onde moram as minhas princesas, são todos velhotes e nós (filhos e sobrinhos e etc.), sempre que visitamos os nossos, tocamos à porta dos outros, para saber se está tudo bem. É um prédio de 3 andares, não custa nada.
Um gesto simples, mas que nos tranquiliza.

Palco do tempo disse...

tenho medo da solidão